Portugal - Dicionário

A página abrirá numa janela nova

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

 

Artigos Relacionados

Aviso ao Leitor da edição original (1904)

Aos Senhores Assinantes (1915)

A edição actual para a Internet (2000)

Os objectivos (2001)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Teve o apoio:

Portugal

Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico


abrangendo


A minuciosa descrição histórica e corográfica de todas as cidades, vilas e outras povoações do continente do Reino, Ilhas e Ultramar, monumentos e edifícios mais notáveis, tanto antigos como modernos; biografias dos portugueses ilustres antigos e contemporâneos, célebres por qualquer título, notáveis pelas suas acções, pelos seus escritos, pelas suas invenções ou descobertas; bibliografia antiga e moderna; indicação de todos os factos notáveis da história portuguesa, etc., etc.


Obra ilustrada

com centenares de fotogravuras
e redigida
segundo os trabalhos dos mais notáveis escritores
por


Esteves Pereira e Guilherme Rodrigues

 
Volume I - A - 1904
Volume II - B - C - 1906
Volume III - D - K - 1907
Volume IV   - L - M - 1908
Volume V - N - P - 1911
Volume VI  - Q - S - 1912
Volume VII - T - Z - 1915

Lisboa

João Romano Torres - Editor


82, Rua D. Pedro V, 88 (1904)
112, Rua Alexandre Herculano, 120 (1906)
120, Rua Alexandre Herculano, 120-D (1907 e 1908)
Rua Alexandre Herculano, 70 a 76 (1911 a 1915)

Personalidade da Semana

 
D. João V

D. João V

João V. 

n.      22 de outubro de 1689.
f.       
31 de julho de 1750.

O Magnânimo, 24.° rei de Portugal. 

Nasceu em Lisboa a 22 de outubro de 1689, onde também faleceu a 31 de julho de 1750. Era segundo filho de D. Pedro II, e de sua segunda mulher, a rainha D. Maria Sofia Isabel de Neuburgo. 

Falecendo seu irmão mais velho, do mesmo nome João, a 30 de agosto de 1688, tendo apenas um mês de vida, foi proclamado príncipe herdeiro em 1 de dezembro de 1697, em acto solene na presença da corte, e por morte de seu pai, em dezembro de 1706, subiu ao trono, sendo solenemente aclamado no dia 1 de janeiro de 1707. Em 1696 fora armado por seu pai cavaleiro da Ordem de Cristo. No Ano Histórico, do padre Francisco de Santa Maria, vol. I, pág. 12 e seguintes, vem uma descrição minuciosa desta cerimónia e das festas que então se realizaram. 

D. .João V herdou de seu pai uma guerra que ia começar a ser desastrosa, a da Sucessão de Espanha. Os pretendentes eram o arquiduque Carlos e duque de Anjou, neto de Luís XIV, Filipe V. A Espanha aceitava a realeza de Filipe V, e D. Pedro II, de Portugal, aliara-se com os ingleses e os austríacos a favor do arquiduque. O duque Berwick, um dos generais de Filipe V, tinha na sua frente o general português marquês dás Minas, que na campanha de 1706 atravessou a Espanha e entrou vitorioso em Madrid, onde fez aclamar o arquiduque com o nome de Carlos III. (...)

Portugal - Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico.

Edição em papel © 1904-1915 João Romano Torres - Editor
Edição electrónica © 2000-2015
Manuel Amaral