Portugal - Dicionário

A página abrirá numa janela nova

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

 

Artigos Relacionados

Aviso ao Leitor da edição original (1904)

Aos Senhores Assinantes (1915)

A edição actual para a Internet (2000)

Os objectivos (2001)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Teve o apoio:

Portugal

Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico


abrangendo


A minuciosa descrição histórica e corográfica de todas as cidades, vilas e outras povoações do continente do Reino, Ilhas e Ultramar, monumentos e edifícios mais notáveis, tanto antigos como modernos; biografias dos portugueses ilustres antigos e contemporâneos, célebres por qualquer título, notáveis pelas suas acções, pelos seus escritos, pelas suas invenções ou descobertas; bibliografia antiga e moderna; indicação de todos os factos notáveis da história portuguesa, etc., etc.


Obra ilustrada

com centenares de fotogravuras
e redigida
segundo os trabalhos dos mais notáveis escritores
por


Esteves Pereira e Guilherme Rodrigues

 
Volume I - A - 1904
Volume II - B - C - 1906
Volume III - D - K - 1907
Volume IV   - L - M - 1908
Volume V - N - P - 1911
Volume VI  - Q - S - 1912
Volume VII - T - Z - 1915

Lisboa

João Romano Torres - Editor


82, Rua D. Pedro V, 88 (1904)
112, Rua Alexandre Herculano, 120 (1906)
120, Rua Alexandre Herculano, 120-D (1907 e 1908)
Rua Alexandre Herculano, 70 a 76 (1911 a 1915)

Personalidade da Semana

 
Sebastião Cabreira, em 1820

Sebastião Cabreira

Cabreira (Sebastião Drago Valente de Brito).

n. 6 de janeiro de 1763.
f. 2 de junho de 1833.

Fidalgo cavaleiro da Casa Real, em sucessão a seus maiores; bacharel formado em matemática pela Universidade de Coimbra; general de brigada de artilharia; governador das Armas do Algarve, e depois das dos Açores; comendador das ordens de Torre e Espada, e de S. Bento de Avis, etc. Nasceu em Faro a 6 de janeiro de 1763, faleceu no Porto a 2 de junho de 1833. Era filho de José Cabreira de Brito e Alvelos Drago Valente de Faria Pereira, fidalgo da Casa Real, sargento-mor da comarca de Faro, e de sua mulher, D. Isabel das Urdes Barreto, filha de Duarte Barreto, doutor em medicina pela Universidade de Coimbra, e médico honorário da Casa Real, e de D. Maria Teresa Urdes, filha dum tenente-coronel inglês do mesmo apelido. Sebastião Cabreira alistou-se no exército em 1777. Sendo cadete de artilharia, estudou matemática na universidade, e depois de se formar foi promovido a tenente para o Regimento de Artilharia do Algarve, em que servia. Nesse posto entrou nas guerras do Rossilhão e da Catalunha, e depois na de 1801, em que foi comandante de artilharia do exército da Beira Baixa. Tomou parte muito activa na revolta que em junho de 1808 se deu em Faro contra os franceses. Foi depois nomeado membro da junta provisória que se formou no Algarve, e elevado a tenente-coronel de Artilharia 2, distinguindo-se sempre nos sucessos políticos até à derrota dos franceses. Em 1817 teve o posto de coronel para o Regimento de Artilharia n.º 4, estacionado no Porto, e achava-se nesta situação, quando se deu a revolta de 24 de agosto de 1820. (...)

Portugal - Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico.

Edição em papel © 1904-1915 João Romano Torres - Editor
Edição electrónica © Manuel Amaral 2000-2013

Free counter and web stats