Reis, Rainhas e Presidentes de Portugal

 

D. Afonso III

 


D. Afonso III

D. Afonso III


Quinto rei de Portugal. 

Segundo filho de D. Afonso II. 

A incapacidade política levou à intervenção da Santa Sé, tendo o papa Inocêncio IV ordenado a todos os vassalos que obedecessem ao infante. Este chegou a França, onde vivia, em 1246 a foi aclamado rei em 1248. 

Realiza-se no seu reinado a conquista definitiva do Algarve. As discórdias com Castela quanto ao domínio algarvio só findaram com o tratado de Badajoz em 1267 no qual ficou estipulado que o Guadiana, desde a confluência com o Caia até ao mar constituiria a fronteira luso-castelhana. 

D. Afonso III foi notável administrador, fundou povoações restaurou, repovoou a cultivou lugares arruinados e concedeu numerosos forais. 

Reuniu as Cortes em Leiria em 1254, as primeiras em que participaram representantes dos concelhos. Em 1261, nas Cortes de Coimbra foi-lhe reconhecido o direito de cunhar moeda fraca. 

Também procedeu a inquirições que revelaram muitos abusos praticados pelas classes privilegiadas, tendo promulgado várias leis tendentes a reprimi-los.

 

Ficha genealógica:

D. Afonso III, nasceu em Coimbra a 5 de Maio de 1210, e morreu em Coimbra a 16 de Fevereiro de 1279. Casou em França, em Maio de 1239, com D. Matilde, condessa de Bolonha e viúva de Filipe, o Crespo, que tinha falecido em 1234, não tendo havido descendência, pelo que foi repudiada em 1253. Por um segundo casamento, feito em S. Estêvão, termo de Chaves, no ano de 1253, com D. Beatriz ou Brites, filha natural de Afonso X, rei de Castela, deixou sucessão:

1. D. Branca, nasceu em Guimarães a 25 de Fevereiro de 1259; faleceu em Burgos a 17 de Abril de 1321, onde era «Senhora e Guardadora» do Convento das Huelgas;

2. D. Fernando, nasceu em 1260 e faleceu em 1262, estando sepultado em Alcobaça;

3. D. Dinis, que herdou a coroa;

4. D. Afonso, nasceu em 8 de Fevereiro de 1263 e faleceu em Lisboa a 2 de Novembro de 1312; casou com D. Violante, filha do infante D. Manuel, senhor de Escalons, em Castela;

5. D. Sancha, nasceu em 2 de Fevereiro de 1264. Viveu em Castela, falecendo em Sevilha por volta de 1302. Está sepultada no Convento de Alcobaça;

6. D. Maria, nasceu em Coimbra a 21 de Novembro de 1264; freira no Convento das Donas Cónegas de S. João, junto ao Mosteiro de Santa Cruz; morreu em Coimbra a 6 de Junho de 1304;

7. D. Vicente, nasceu em 22 de Janeiro de 1268 e morreu em Lisboa em ano incerto, sendo enterrado no Mosteiro de Alcobaça.

D. Afonso III teve de várias mulheres os seguintes filhos bastardos:

8. D. Leonor Afonso, nasceu em data incerta; casou com D. Estêvão Anes, e, em segundas núpcias, com D. Gonçalo Garcia de Sousa, alferes-mor; viveu quase sempre em Santarém, onde morreu a 26 de Fevereiro de 1291, sendo enterrada na Igreja de Santa Clara, onde ainda se guarda o seu túmulo;

9. D. Gil Afonso, nasceu em data incerta; cavaleiro da Ordem do Hospital, foi sepultado na Igreja de S. Brás, em Lisboa, ignorando-se o ano da sua morte;

10. D. Martim Afonso, por alcunha o Chichorro;

11. D. Afonso Dinis, nasceu e faleceu em data incerta, filho de D. Marinha Peres, de Enxara dos Cavaleiros;

12. D. Urraca Afonso, nasceu e faleceu em data incerta, sendo enterrada em São João de Tarouca. Casou duas vezes, a primeira com D. Pêro Eanes, tenente do distrito da Guarda, que morreu antes de 1286; e, a segunda, com D. João Mendes de Briteiros, c. 1290.

Fontes:
Joel Serrão (dir.)
Pequeno Dicionário de História de Portugal,
Lisboa, Iniciativas Editoriais, 1976

Joaquim Veríssimo Serrão,
História de Portugal, Volume I: Estado, Pátria e Nação (1080-1415),
2.ª ed., Lisboa, Verbo, 1978

| Página Principal |
|
A Imagem da Semana | O Discurso do Mês | Almanaque | Turismo histórico | Estudo da história |
|
Agenda | Directório | Pontos de vista | Perguntas mais frequentes | Histórias pessoais
|
Biografias | Novidades | O Liberalismo | As Invasões Francesas | Portugal na Grande Guerra |
|
A Guerra de África | Temas de História de Portugal| A Grande Fome na Irlanda | As Cruzadas
|
A Segunda Guerra Mundial | Think Small - Pense pequeno | Teoria Política |

Escreva ao Portal da História

© Manuel Amaral 2000-2008